11/09/2017

Shutter, ou Espíritos – A Morte está ao Seu Lado (2004)

0
shutter

Ah, o terror. Ontem assisti It – A coisa e me senti inspirada a falar sobre um dos – senão o melhor – terror oriental que eu já assisti. Gostei tanto que já assisti duas vezes, haha. Vem comigo conferir!

Shutter, literalmente “obturador” em inglês, que no Brasil foi chamado de Espíritos – A Morte está ao Seu Lado, é um filme tailandês de 2004. Nele, um casal de jovens, voltando da festa de noivado de um amigo, atropelam uma garota na estrada. A garota, Jane (Natthaweeranuch Thongmee), que estava dirigindo, quer conferir se a menina está viva e prestar assistência, enquanto Tun (Ananda Everingham), seu namorado, quer fugir. Ambos acabam indo embora e Jane fica com peso na consciência depois, ao contrário de Tun. A partir do atropelamento, Tun, que é fotógrafo, passa a ver borrões em suas fotografias. Os borrões parecem imagens de espíritos e acontecimentos estranhos começam a fazer o casal suspeitar de que algo está (muito!) errado.

A partir daí, Jane procura descobrir quem é a jovem (Feawfao Sudswingringo) que aparece nas fotografias, enquanto Tun é atormentado por acontecimentos do passado. O mistério aumenta quando os amigos de Tun começam a se suicidar. O que aconteceu no passado deles? Deixo a questão no ar, pois o plot twist é uma das melhores partes do filme. Se não contar a sequência final, é claro.

Oie!

Um dos motivos pelos quais eu gostei (muito!) de Shutter é que sua história é bem construída e convincente. Em 2004, numa produção não-hollywoodiana, a qualidade do filme tecnicamente falando não é exatamente das maiores. Mas é possível perceber que foi feito o melhor possível, como o uso da boa e velha maquiagem para tornar a fantasminha camarada mais convincente. Achei todas as atuações boas, melhores do que muitos filmes americanos do gênero, inclusive. Outra coisa interessante a se notar é que as fotografias feitas no filme são analógicas, sendo que em 2004 já existiam câmeras digitais, mas não se especifica uma época e, imagino, a história sofreria algumas adaptações com as novas tecnologias (quase ninguém imprime fotografias mais, não é?).

Este não é meu primeiro filme tailandês, mas é o primeiro de terror e, posso afirmar com certeza, que assistirei outros quando surgir a oportunidade. É claro que a história contou com alguns clichês do gênero, mas a solução do mistério foi muito satisfatória, bem diferente do esperado. Ah! E uma coisa muito legal que fizeram foi incluir fotografias “reais” de fantasmas, no sentido de não serem montagens feitas apenas para o filme, mas fotografias que apareceram e circularam pela internet. Isto torna a coisa mais interessante para quem, como eu, gosta do assunto, até reconheci algumas enquanto assistia.

E para não dizer que só eu curti muito a história, Shutter ganhou dois remakes, o primeiro americano –  também Shutter, ou Imagens do Além – em 2008, dos mesmo produtores de O Grito e O Chamando, ambos remakes de filmes japoneses, e o segundo, – Click – indiano, em 2010. Não conferi nenhum dos dois, talvez dê uma chance eventualmente. Principalmente porque ando com vontade de ver alguma coisa indiana, talvez seja a oportunidade.

shutter2

Espero que tenham curtido esta indicação e, se você é fã do gênero, não deixe de assistir Shutter! Não esqueça de comentar caso já tenha visto e, se pretende ver, também! Até logo! :)