02/02/2017

Algumas reflexões sobre o Pururin, a vida, o universo e tudo mais

0
not-again

Olá pessoas! Nossa, faz tempo, não é?

Levei um bom tempo para definir o que fazer sobre o Pururin desta vez. Quem acompanha o blog deve ter percebido que ele está completamente parado há mais de seis meses. Mas, mais uma vez, volto e tenho muita vontade de continuar utilizando o Pururin como uma forma de expressar minhas opiniões e gostos do meu jeito na internet.

O problema é que, mais uma vez, me peguei em uma mudança de fase e não sei exatamente que rumo seguir com o Pururin. Deixe-me tentar explicar: lá em 2010, nos primórdios do Pururin, ele foi criado como um blog para divulgar os trabalhos de tradução de mangás que eu e mais uns amigos fazíamos. Era para ser algo pequeno, traduzindo apenas obras que realmente gostávamos, no nosso ritmo. Mas, aí, o Pururin cresceu. Entre 2011 e 2012 começamos a tradução de mais de 20 projetos, alguns muito adorados (como Kamisama Hajimemashita!), gerando necessidade de comprometimento e equipe para manter as traduções em andamento.

Aí a vida começou a ficar complicada e vocês já conhecem a história. No final, decidi que não podia mais manter o grupo de tradução. Estava muito difícil de arrumar pessoas comprometidas e eu mesma não tinha tempo para dar continuidade às traduções sozinha. Foi aí que o Pururin passou por sua primeira grande crise de existência. O que seria dele? Para ser bem sincera, o Pururin se tornou parte importante da minha vida, fiz amigos incríveis através dele (Jazz-tan!! s2), dediquei muito tempo e dinheiro (sim, e nunca recebi absolutamente nada de dinheiro com o Pururin), e eu tenho muito amor por escrever sobre as coisas que eu gosto.

Foi aí que o Pururin chegou em sua segunda grande crise de existência. Como blog de conteúdo informativo e de entretenimento tentei manter os assuntos ligados à proposta inicial do Pururin, que são mangás e animes. Chamei alguns amigos e tentei diferenciar os conteúdos com os conhecimentos em pontos diferentes da cultura japonesa que eles possuem. Mas… o que fazer quando não se tem vontade de escrever sobre animes e mangás? Quando eu quero compartilhar alguma outra coisa, por exemplo um livro, uma série legal, coisas do tipo?

Uma inspiração minha sempre foi a Valéria Fernandes do Shoujo Café. Acho incrível a forma como ela conduz o blog há tanto tempo. Ele possui muita personalidade, muito da personalidade dela. Ela compartilha sem medo resenhas de mangás, seguidas por resenhas de séries britânicas ou uma novela da Globo (!). Realmente gosto muito disso. Ela escreve de um jeito que faz com que você queira acompanhar o blog, independente se ela está falando de mangás e coisas japonesas ou não.

Acabei criando um blog separado para falar de coisas diferentes. Mas aí nenhum dos dois blogs têm andado. Às vezes quero fazer uma crítica mais pessoal sobre algum mangá e acabo postando no blog pessoal, ficando sem o que postar no Pururin. E também entrei num momento em que mal estou tendo contato com animes e mangás. Por outro lado, li diversos livros, assisti séries e doramas. Então, porque existir essa separação?

Acredito que o Pururin vá passar por mais uma mudança. Realmente não quero parar com ele por “falta de conteúdo”. Conteúdo existe, sempre existe. Só preciso me organizar e pensar no que vai me dar mais satisfação escrevendo por aqui. E no que vocês vão gostar de ler, é claro. Muito obrigada à todos que têm que acompanhado nessa jornada. E até mais. :)

AH! Agora em janeiro o Pururin comemorou 7 anos de existência! O tempo realmente voa!

Tags