05/12/2015

Primeiras impressões – Sakurako-san no Ashimoto ni wa Shitai ga Umatteiru

0
sakurako

Hoje terminei de assistir os 9 episódios já disponíveis de Sakurako-san no Ashimoto ni wa Shitai ga Umatteiru, ou Beautiful Bones: Sakurako’s Investigation, e achei super válido vir aqui dar minhas primeiras impressões sobre o anime.

A série, que finalizará com 12 episódios, é produzida pelo estúdio Troyca e baseada na novel homônima escrita por Shiori Ōta, com ilustrações por Tetsuo, em publicação no Japão desde 2013. A história gira em torno de Sakurako Kujou, uma mulher rica que possui uma fascinação por ossos desde muito cedo, se tornando uma osteóloga, uma pessoa que estuda ossos. Ela vive em uma mansão sozinha junto com uma senhora que faz o trabalho de casa e cuida dela.

A história começa com Shoutaro Tatewaki, um colegial, contando sobre sua relação com Sakurako-san, que não chega a ser uma amizade, ele é mais como um assistente para ela. Eles costumam ir procurar ossos de animais juntos e, nessas expedições, eles sempre acabam encontrando ossos humanos. É aí que a dupla começa a agir como detetives, mostrando que as mortes nem sempre são o que parecem. Em cada episódio eles se deparam com um novo caso e acabam contando com outros personagens, como o policial Hiroki Utsumi, ou o professor de Shoutaro, Itsuki Isozaki, e sua colega de classe, Yuriko Kougami.

É claro que eles não se metem simplesmente em situações em que a polícia permite que eles ajudem, acontece que Sakurako tem um noivo, Naoe Ariwara, que é oficial de polícia e permite que ela dê seu parecer sobre os casos. Até o momento, o noivo de Sakurako é apenas uma menção e Shoutaro, que é quem nos dá o ponto de vista no anime, nunca o viu. Shoutaro, apesar de bom garoto, não deixa de ficar consciente em alguns momentos que Sakurako é uma jovem adulta muito bonita, mas não acredita que possa ter qualquer chance com ela, sendo noiva ou não.

vlcsnap-2015-10-07-17h50m15s643

Sakurako, por sua vez, faz aquele estilo clássico de detetive que conhecemos desde a época em que Edgar Alan Poe criou seu detetive Dupin, que veio a inspirar Sherlock Holmes futuramente, criando o esteriótipo que Sakurako é: inteligente porém fria, não empática na maior parte das vezes, mais racional do que emocional. Mas, Sakurako possui um passado envolvendo tragédias e vemos que ela tem sim vários sentimentos por baixo daquela expressão, na maioria das vezes, fria.

Os casos mostrados a princípio parecem que serão semelhantes em todos os episódios, mas a partir do segundo já vemos que não é bem assim. O primeiro caso se trata de uma caveira encontrada enquanto Sakurako e Shoutaro buscam por ossos de animais na praia, Shoutaro, contrariando Sakurako, que queria muito ficar com a caveira para ela, chama a polícia e, assim, eles acabam envolvidos em um caso com dois outros corpos, muito mais frescos, no que parece ter sido um suicídio duplo. É aí que vemos que as habilidades de Sakurako vão muito além dos ossos, possuindo, também, um grande conhecimento em ciência forense.

O segundo caso, muito diferente do primeiro, começa com Shoutaro encontrando uma menina de uns 4 anos de idade sozinha durante a noite. Ela é levada à polícia para que seja devolvida aos pais, mas uma marca de sangue em sua mochila e na sola dos pés, leva a polícia a acreditar que talvez tenha ocorrido algum acidente com os responsáveis pela menina. Eles contam, então, com Sakurako para ajudar a desvendar um mistério que não possui ninguém morto logo de cara, mas que se prova muito mais trágico no final.

Preciso dizer que estou gostando muito dos casos até agora, fora que parecem existir alguns mistérios por trás de tudo que ainda não foram revelados. Estou muito ansiosa pelos últimos 3 episódios, mas estou com aquele sentimento de que apenas 12 não serão o suficiente. Vamos esperar para ver, né?

Sobre a qualidade do anime em si, não achei a animação das melhores, mas também não está ruim, diria que mediana. Assisti pelo Crunchyroll em fullhd, então posso dizer que é isso mesmo. A única parte que realmente achei muito bem feita foi quando a Sakurako entra no modo ~detetive de ossos~ e um 3D com diversos ossos de animais de movendo aparece, esta parte realmente ficou muito bonita. O 3D da abertura, quando aparecem algumas caveiras, também está muito bonito. Mas você pode dizer facilmente que são 3D porque diferem muito da animação no geral. O traço do anime está bem semelhante ao que está em alta agora, nada muito inovador, mas, mesmo assim, ainda bonito.

Gostei bastante das músicas de abertura e do final também. Além disso, a trilha sonora não é muito marcante. Diria que é um anime muito bom se você gosta da temática e não tem problemas com imagens de cadáveres. Espero não me decepcionar com o final, mas podem deixar que eu venho aqui dar minha opinião novamente. ^_^