12/10/2015

Death Parade

0
death-parade

Olá! Venho hoje com minha primeira recomendação por aqui, espero que curtam!

Sou muito fã de histórias de suspense, terror e psicológicas, que mexem com a gente, são inteligentes e imprevisíveis, e Death Parade acabou suprindo vários desses requisitos e se tornando um dos meus animes favoritos dentro do gênero. Death Parade foi lançado agora em 2015, e foi um dos poucos animes da temporada que me chamou a atenção de verdade. Mas acredito que tenha sido uma boa escolha e não tenho como não recomendar!

Death Parade é um anime original (não vem de mangá ou novel) produzido pela Madhouse, que quase nunca decepciona, e vem com um visual incrível, cenários lindíssimos e uma história capaz de provocar o emocional até dos mais fortes. Fora a abertura, e que abertura mais incrível! A melhor parte é que ela não diz praticamente nada sobre a história até o final, o que eu considero muito um ponto positivo. Vou deixar ela a seguir, para quem não conhece poder ter uma ideia do que estou dizendo (o áudio tá bem ruinzinho, mas foi a única que achei sem legendas).

Além disso, acredito que o anime tenha tido um bom tamanho. Fechando com 12 episódios, ele conta histórias sobre o pós-morte de várias pessoas que, sem saber que morreram, serão julgadas por bartenders que os convidam para jogar um jogo. Como as pessoas não sabem que estão mortas, elas acreditam que estão apostando suas vidas e os jogos, selecionados aleatoriamente, servirão para expor a escuridão de suas almas, ajudando o juíz a decidir se eles serão mandados para o céu ou inferno. Parece um plot bem doido, e é mesmo, mas tem muita coisa aí e é realmente interessante de ver. É claro que, com 12 episódios, existe algumas coisas que não foram tão bem explicadas, mas nada que comprometa o divertimento.

Sem dar muitos spoilers, a história conta uma pequena parte da rotina de Decim, responsável por julgar pares de pessoas que morreram ao mesmo tempo, e que se vê sem saber o que fazer quando uma mulher chega até o julgamento tendo memórias de que acabou de morrer. As pessoas devem todas ter perdido as memórias de sua morte para passar pelo julgamento.

A mulher, então, tem suas memórias apagadas pela juíza superiora de Decim, Nona, e passa a atuar como assistente de Decim no bar QueenDecim, julgando todo o tipo de pessoa. A partir daí, muitas coisas acontecem e a história só fica mais interessante. E, quando acaba, dá para sentir que ela está completa.

Gostei muito mesmo do anime e pretendo assistir Death Biliards, um filme curto, também da Madhouse, lançado em 2012, que conta mais um pedaço da história de Decim e do QueenDecim. Enquanto isso, deixo esta recomendação para quem curte este tipo de história. Comentem o que acharam caso tenham assistido, e também se quiserem sugerir algum anime do gênero para mim, ok? Haha.